quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

O meu pai


Meton Gerássimos Lychnos é o nome do meu pai, um homem grande pela figura e pelo carácter  gostava de futebol e jogar também, foi considerado um dos melhores jogadores de Angola enquanto jogador.

Hoje teria 93 anos se fosse vivo, mas a vida dele foi curta tinha apenas 48 anos quando partiu, deixou uma família em frangalhos.

Fico triste por ele não ter acompanhado por mais tempo as nossas vidas,

Alguns episódios do meu pai

Ficou zangado quando foi convidado pelo Sporting Clube de Portugal para vir jogar em Lisboa,  era um desejo dele,  mas segundo a minha mãe me contou o Sporting Clube do Huambo não lhe deu a conhecer nada, mais tarde ele veio a saber por um amigo e aí virou a mesa e largou o futebol, ficou mesmo zangado, não me lembro de o ver jogar sei que a minha mãe me levava ao campo para assistir aos jogos … devia ter um ano ou dois e aí as memórias não existem.


Fotos lá em casa não faltavam  quer do Sporting  quer das seleções de Nova Lisboa e de Angola a minha mãe mostrava-me sempre que tinha tempo, para lembrar a época dourada do futebol em que o meu pai participou… ficaram todas em Angola… depois do 25 de Abril de 1974 a minha mãe teve que abandonar a nossa casa à pressa, uma vez   que a Unita estava em perseguição aos meus irmãos e assim  se perderam memórias valiosas tais como as fotos .

Foi preso pela PIDE , porque era contra o regime e nessa altura foram mais alguns dos seus amigos que faziam parte de grupos ligados aos Movimentos de Libertação que começavam a emergir em Angola

Algumas  vezes a nossa casa foi alvo de buscas, sem mais nem porquê lá iam uns homens revistar a casa, lembro-me de os ver a remexer nas gavetas à procura de papéis, são pequenas memórias que me afloram à cabeça, perguntava à minha mãe  porquê que aqueles homens de fato escuro iam lá à casa?

Ela respondia: _ és muito nova para saberes


Mais tarde vim a saber que o meu pai estava metido com gente da política que era contra o regime de Salazar.

Tinha grandes amigos entre eles Ernesto Lara Filho, grande poeta e escritor, Congo um dos grandes jornalistas de Angola,   Sabu, Migalhas Caquarta, todos companheiros do desporto e mais alguns que frequentavam a nossa casa.

Ele falava muito dos Dáskálos e sei que frequentava a casa deles, era também amigo do David Bernardino, amizades que também estavam ligadas a ele desde a infância, uma vez que os pais  dos Dáskálos  eram gregos, logo formaram em Nova Lisboa um grupo de pessoas vindas da Grécia para trabalharem em Angola em 1910  afim de montarem as linhas férreas dos Caminhos de Ferro, este registo fiquei a saber já muito tarde...

Futebol, como disse acima era o seu desporto favorito  desde pequeno que jogava à bola, e lá em casa os relatos de domingo eram bem vividos como se estivéssemos no campo.

Era assim o Sr. Meton um homem integro que me passou grandes valores tais como a integridade, a bondade, a pontualidade o trabalho.

Uma vez disse-lhe que quando fosse grande que não queria ser Dona de Casa que arranjava uma empregada para fazer tudo:

 resposta pronta dele:

Para mandares em alguém tens que saber fazer o trabalho que vais orientar, por isso ouve a tua mãe e faz o que ela te ensinar.

 Frase que jamais esqueci, fica aqui.

1 comentário:

  1. Olá conheci um meton lychnos em nova lisboa msd não tinha nenhuma filha com o teu nome o meu filho também é lychnos

    ResponderEliminar